Ford Ranger x Chevrolet S10 x Toyota Hilux

GM e Ford foram muito além da tradicional reestilização, de S10 e Ranger, para enfrentar a recém-chegada Toyota Hilux

O segmento de picapes médias cresceu 30% nos últimos cinco anos e nem mesmo a crise da economia freou seu avanço, que foi de 4,5% em 2015 e 5,3% nos três primeiros meses de 2016. Não é à toa que esse mercado está agitado por lançamentos. Aqui, reunimos três novidades: Chevrolet S10, Ford Ranger e Toyota Hilux (nas versões top de linha). E há outras planejadas para os próximos meses, como Mitsubishi L200 e Nissan Frontier e, no fim de 2017, suas gêmeas da Renault e da Mercedes. A Toyota Hilux chega a uma nova geração, a oitava, enquanto Chevrolet S10 e Ford Ranger passaram por atualizações.

Por ser um exemplar inteiramente novo, a Hilux tem mais a mostrar. Em relação à geração anterior, ela ganhou novo design, cresceu externa e internamente, adotou chassi com reforços e mudanças na suspensão e recebeu novo conjunto de motor e câmbio. O motor da série GD (Global Diesel) traz melhorias nos sistemas de injeção e de admissão, turbo variável  com intercooler e tratamento para redução do atrito interno. Na prática, segundo a fábrica, ele entrega 25% mais torque que o antecessor. O novo motor 2.8 gera 177 cv de potência e 45,9 mkgf de torque. No caso da transmissão, um sistema mais inteligente agora funciona levando em conta o estilo de condução, a carga transportada e a inclinação do terreno.

Design sem remendos 

S10 e Ranger não mudaram tanto porque já haviam incorporado muitos dos recursos apresentados agora pela Hilux (que era essencialmente a mesma desde 2004) – as atuais gerações de S10 e Ranger picapes, terceira e sexta, respectivamente, foram apresentadas em 2012. Mesmo assim, a atualização nessas picapes foi muito além das alterações visuais de costume. Parece que as fábricas combinaram, pois, além da reestilização, as duas substituíram os sistemas de direção (de assistência hidráulica por elétrica), os pneus (com menor resistência à rolagem) e os coxins do motor e do chassi (que favoreceram a dirigibilidade e o silêncio a bordo). Mas a GM foi mais além ao retrabalhar também a aerodinâmica da S10, visando a redução do consumo.

 S10 High Country traz estribos pretos e santantônio com design aerodinâmico

S10 High Country traz estribos pretos e santantônio com design aerodinâmico  (/)
 A Ford caprichou nos cromados: no estribo, nas maçanetas e nos retrovisores

A Ford caprichou nos cromados: no estribo, nas maçanetas e nos retrovisores  (/)
 Na versão SRX, HIlux vem com rodas exclusivas de 18 polegadas

Na versão SRX, HIlux vem com rodas exclusivas de 18 polegadas  (/)

Analisando o visual das picapes, como sempre, as opiniões dos consumidores devem se dividir. É questão de gosto. Mas tecnicamente os projetistas da GM e da Ford merecem elogios porque conseguiram promover alterações sem romper com o estilo original das picapes. Muitas vezes, essas intervenções ficam parecendo remendos. Os mais exigentes podem dizer que o relevo arredondado do para-choque dianteiro, na região dos faróis auxiliares, é um toque dissonante em relação aos faróis e as lanternas com contornos retos. Mas no caso da Ranger, não há o que reparar. As duas ficaram parrudas e com estilo luxuoso, nas versões top de linha que exibem grades cromadas e que são o objeto deste comparativo. A Toyota, por sua vez, mostra um visual mais leve, com estilo mais próximo ao de um SUV. E apesar da grade cromada, sua aparência ficou mais discreta. Nova grade horizontal dá a sensação de que a S10 ficou mais larga e mais baixa

Nova grade horizontal dá a sensação de que a S10 ficou mais larga e mais baixa  (/)

Ford Ranger

 Na parte inferior, a Ranger tem um direcionador de fluxo aerodinâmico

Na parte inferior, a Ranger tem um direcionador de fluxo aerodinâmico  (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Toyota Hilux

 As linhas de leds (do farol baixo) parecem extensões da aleta da grade dianteira

As linhas de leds (do farol baixo) parecem extensões da aleta da grade dianteira  (/)

Painéis refletidos

Por dentro, cada picape tem seu próprio estilo. Todas possuem painéis horizontais com consoles verticais. A Hilux soma mais elementos, com superfícies sobrepostas e variação de materiais, enquanto S10 e Ranger são convencionais. Mais interessante, nesse aspecto, porém, é notar a qualidade do acabamento. A melhor nessa área é a Ranger, que conta com plástico de aspecto mais agradável aos olhos e ao toque dos dedos (na parte superior) e revestimento metalizado (na parte central). A Hilux vem em seguida. E em último fica a S10. O acabamento da S10 melhorou na comparação com a versão anterior. Mas ainda fica devendo às rivais na qualidade dos materiais. Todas, sem exceção, pecam no tratamento da superfície superior dos painéis que refletem seus elementos nos para-brisas, atrapalhando a visão do motorista. Com a parte superior do painel menor, a Hilux é a que projeta menos interferências. Em contrapartida, a peça metalizada na parte frontal do painel reflete a luz do sol, o que causa desconforto.

Chevrolet S10

 Central MyLink da S10 tem compatibilidade para Apple CarPLay e Android Auto

Central MyLink da S10 tem compatibilidade para Apple CarPLay e Android Auto  (/)

Ford Ranger

 O ar-condicionado da Ranger permite ajustes para motorista e passageiro

O ar-condicionado da Ranger permite ajustes para motorista e passageiro  (/)

Toyota Hilux

 O painel da Hilux tem variação nas formas e nos materiais de revestimento

O painel da Hilux tem variação nas formas e nos materiais de revestimento  (/)

Mesmo com refinamento menor, a vida a bordo é melhor na S10, que é dona do maior espaço interno, nas distâncias para ombros, cabeça e pernas. A Ranger fica em segundo e a Hilux, que, apesar de ter ficado maior nessa geração, não cresceu o suficiente para superar as rivais, chega em terceiro. Mas não é só no espaço que a S10 leva vantagem. Ela conta com recursos exclusivos como a compatibilidade da central multimídia com os sistemas operacionais Apple CarPlay e Android Auto e o serviço de monitoramento On Star. As outras também têm centrais multimídia, mas que permitem apenas o espelhamento de smartphones. Em relação aos demais equipamentos, a Ranger se destaca por ser a única com ar-condicionado dual-zone. E a Hilux apresenta facilidades como a partida por meio de botão start-stop, a presença de alças que facilitam o acesso à cabine nas duas fileiras de bancos e as saídas de ar-condicionado na traseira. Mas fica devendo sensores de chuva, de luz e de pressão dos pneus, presentes nas rivais e também capota marítima e santantônio.

Chevrolet S10

 A S10 é dona da cabine mais espaçosa

A S10 é dona da cabine mais espaçosa  (/)

Chevrolet S10

 Boa área livre para as pernas e cabeças dos pasageiros de trás

Boa área livre para as pernas e cabeças dos pasageiros de trás  (/)

Ford Ranger

 Acabamento do interior da Ranger é melhor

Acabamento do interior da Ranger é melhor  (/)

Ford Ranger

 Atrás, cinto de 3 pontos para os três passageiros

Atrás, cinto de 3 pontos para os três passageiros  (/)

Toyota Hilux

 Banco do motorista da Hilux traz ajuste elétrico

Banco do motorista da Hilux traz ajuste elétrico  (/)

Toyota Hilux

 Ar-condicionado tem saídas para os passageiros do banco traseiro

Ar-condicionado tem saídas para os passageiros do banco traseiro  (/)

Alertas de colisão

No quesito itens de segurança, a S10 balança quando se conta o número de airbags. Enquanto as rivais vêm com sete bolsas de série, sendo duas frontais, duas laterais, duas de cortina e uma de joelhos, a S10 traz apenas os duas frontais. Mas a S10 se redime oferecendo mais equipamentos de segurança ativa (aqueles que ajudam a evitar acidentes, enquanto os airbags são dispositivos de segurança passiva, que atuam para minimizar as consequências). Além de ESP, assistente de partidas em rampas e controle eletrônico de descidas, que são itens também encontrados nas rivais, a Chevrolet traz alerta de colisão e aviso de mudança involuntária de faixa, que somente ela e a Ranger possuem. A Ford é a mais completa quando o assunto é segurança porque acrescenta piloto automático adaptativo e sistema de frenagem autônoma de emergência.

A Ranger também é referência com o seu comportamento dinâmico, que é um dos melhores do segmento. Mas com a troca do sistema de direção e dos coxins do chassi, a S10 evoluiu muito e se revelou quase tão bem ajustada quanto a concorrente. A Hilux, por sua vez, ainda precisa melhorar. A impressão é que a Toyota privilegiou o conforto, mas acabou por deixar a suspensão sensível, de modo a permitir que ela transmita as oscilações do piso à cabine.

Chevrolet S10

 O câmbio automático da S10 pode fazer trocas no modo manual

O câmbio automático da S10 pode fazer trocas no modo manual  (/)

Ford Ranger

 Na Ranger, tração 4×4 tem engates eletrônicos

Na Ranger, tração 4×4 tem engates eletrônicos  (/)

Toyota Hilux

 Câmbio automático da Hilux tem seis marchas

Câmbio automático da Hilux tem seis marchas  (/)

Preço controlado

Menos espaçosa, equipada e com comportamento dinâmico menos equilibrado, a Hilux perde ainda mais terreno quando se analisam os preços sugeridos pelas fábricas. A GM não alterou os preços da S10: a versão top de linha High Country custa R$ 167.490, enquanto a Ranger Limited sai por R$ 179.900 e a Hilux SRX, por R$ 188.550. Em relação a outros custos, a Ford ainda traz a garantia de cinco anos, contra três das outras. E a GM acena com um preço de seguro mais barato, por conta do sistema OnStar, que, segundo a empresa, é um forte aliado na localização dos carros roubados – como as picapes são recém-chegadas ao mercado, com exceção da Toyota, as corretoras não dispunham de cotações.

A disputa entre S10 e Ranger é equilibrada. Mas a S10 conseguiu superar a rival na pista de testes, onde obteve os melhores números de desempenho e de consumo. Nas provas de aceleração, a S10 alcançou o tempo de 10 segundos, enquanto a Ranger fez 11,3 segundos e a Hilux, 13,9 segundos. E nas medições de consumo, ela terminou com as médias 9,2 km/l no ciclo urbano e 12,7 no rodoviário, contra 9,1 km/l e 11,4 km/l obtidas pela Ranger e 10 km/l e 12 km/l conseguidas pela Hilux. Pelo conjunto da obra, a S10 leva o primeiro lugar no comparativo, seguida por Ranger e depois Hilux.

Chevrolet S10

 Motor da S10 possui o maior torque: 51 mkgf a 2.000 rpm

Motor da S10 possui o maior torque: 51 mkgf a 2.000 rpm  (/)

Ford Ranger

 Motor 3.2 da Ranger rende 200 cv e 47,9 mkgf

Motor 3.2 da Ranger rende 200 cv e 47,9 mkgf  (/)

Toyota Hilux

 Motor da Toyota tem o menor rendimento: 177 cv e 45,9 mkgf

Motor da Toyota tem o menor rendimento: 177 cv e 45,9 mkgf  (/)

AVALIAÇÃO DO EDITOR

Motor e Câmbio – As três picapes têm conjuntos mecânicos modernos. Mas o da S10 apresentou rendimento superior na pista de testes.

Dirigibilidade – A Ranger é referência entre as picapes médias, mas a S10 evoluiu e apresenta um comportamento igualmente equilibrado. A Hilux precisa melhorar.

Segurança – Com piloto automático adaptativo e frenagem de emergência, a Ranger supera as rivais. A S10 vem com dois airbags, enquanto as outras têm sete. Mas, ainda assim, é mais equipada que a Hilux.

Seu bolso – Se a GM mantiver a estratégia de preços anunciada, a S10 será a mais barata. A Ford oferece cinco anos de garantia, contra a cobertura de três anos das demais. A Hilux é a mais cara. 

Conteúdo – S10 e Ranger se alternam na oferta de equipamentos, enquanto a Hilux é a mais despojada das três.

Vida a bordo – O sistema de direção elétrico, da S10 e da Ranger, facilita a vida do motorista, nas manobras de estacionamento. A Hilux é a única com saídas de ar-condicionado, na traseira. Em relação ao espaço interno, a S10 é a que recebe melhor.

Qualidade – Em alguns detalhes, a Hilux peca pela simplicidade exagerada para uma picape top de linha (como nas grades dianteiras). Mas, de modo geral, tem boa qualidade de materiais e de montagem. As outras cometem pequenos deslizes. No caso da S10, o plástico do painel não tem a firmeza necessária, na região que encobre a central multimídia. E o plástico do volante da Ranger não esconde os vincos airbag embutido.

Chevrolet S10

 Chevrolet S10 High Country

Chevrolet S10 High Country  (/)

Chevrolet S10

 A caçamba da S10 tem 148 cm de comprimento, 153 cm de largura e 44 cm de altura

A caçamba da S10 tem 148 cm de comprimento, 153 cm de largura e 44 cm de altura  (/)

Ford Ranger

 Ford Ranger Limited

Ford Ranger Limited  (/)

Ford Ranger

 Na Ranger, as medidas da caçamba são de 155 cm de comprimento, 156 cm de largura e 51 cm de altura

Na Ranger, as medidas da caçamba são de 155 cm de comprimento, 156 cm de largura e 51 cm de altura  (/)

Toyota Hilux

 Toyota Hilux SRX

Toyota Hilux SRX  (/)

Toyota Hilux

 A da Hilux mede 149 cm de comprimento, 153 de largura e 44 cm de altura

A da Hilux mede 149 cm de comprimento, 153 de largura e 44 cm de altura  (/)

VEREDICTO

A S10 vence por ser mais bem equipada e espaçosa, além de apresentar o melhor rendimento geral na pista. Ela foi seguida de perto pela Ranger, que se destaca na dirigibilidade e itens de segurança. A Hilux fica em terceiro porque é mais cara e oferece menos que as rivais, em comportamento e conteúdo.

S10 High CountryRanger LimitedHilux SRX
ACELERAÇÃO
de 0 a 100 km/h:10 s11,3 s13,9 s
de 0 a 1.000 m:31,9 s – 160,1 km/h32,7 s – 159,4 km/h35,1 s – 147,6 km/h
VELOCIDADE MÁXIMA:n/dn/dn/d
RETOMADAS
de 40 a 80 km/h:4,3 s4,8 s6 s
de 60 a 100 km/h:5,7 s6,3 s7,8 s
de 80 a 120 km/h:7,6 s8,7 s10,3 s
FRENAGENS
de 60 / 80 / 120 km/h a 0:17,3 / 29,7 / 68,7 m17,8 / 29,6 / 70,4 m18 / 29,9 / 71,6 m
CONSUMO
Urbano:9,2 km/l9,1 km/l10 km/l
Rodoviário:12,7 km/l11,4 km/l12 km/l
RUÍDO INTERNO
Neutro / RPM máximo:46, 7 / 70,8 dBA40,8 / 75,1 dBA48,3 / 76 dBA
80 / 120 km/h:61,6 / 67,6 dBA60,7 / 68,7 dBA59,3 / 67,2 dBA
AFERIÇÃO
Velocidade real a 100 km/h:97,6 km/h98,6 km/h94,7 km/h
Rotação do motor a 100 km/h em 5ª marcha:2.000 rpm1.750 rpm1.500 rpm
SEU BOLSO
Preço básico:R$ 167.490R$ 179.900R$ 188.550
Garantia:3 anos5 anos3 anos
Concessionárias:600558141
S10 High CountryRanger LimitedHilux SRX
Motor:diesel, dianteiro, longitudinal, 4 cil., 16 V, turbo, 2.776 cm³, 200 cv a 3.600 rpm, 51 mkgf a 2.000 rpmdiesel, dianteiro, longitudinal, 5 cil., 20V, turbo, 3.198 cm³, 200 cv a 3.000 rpm, 47,9 mkgf de 1.750 a 2.500 rpmdiesel, dianteiro, longitudinal, 4 cil., 16V, turbo, 2.755 cm³, 177 cv a 3.400 rpm, 45,9 mkgf de 1.600 rpm a 2.400 rpm
Câmbio:automático, 6 marchas, 4×4automático, 6 marchas, 4×4automático, 6 marchas, 4×4
Direção:elétrica, n/d (diâmetro de giro)elétrica, 12,1 m (diâmetro de giro)hidráulica, 11,8 m (diâmetro de giro)
Suspensão:duplo A (diant.), eixo de torção (tras.)duplo A (diant.), eixo de torção (tras.)duplo A (diant.), eixo de torção (tras.)
Freios:disco ventilado (diant.), tambor (tras.)disco ventilado (diant.), tambor (tras.)disco ventilado (diant.), tambor (tras.)
Pneus:265/60 R18265/60 R18265/60 R18
Peso:2.101 kg2.261 kg2.090 kg
Peso/potência:10,5 kg/cv11,3 kg/cv11,8 kg/cv
Peso/torque:41,2 kg/mkgf47,2 kg/mkgf45,5 kg/mkgf
Dimensões:comprimento, 540,8 cm; largura, 187,4 cm; altura, 183,9 cm; entre-eixos, 309,6 cm; caçamba, 1.039 kg, 1.061 l; tanque de combustível, 76 lcomprimento, 535,4 cm; largura, 216,3 cm; altura, 184,8 cm; entre-eixos, 322 cm; caçamba, 1.009 kg, 1.180 l; tanque de combustível, 80 lcomprimento, 533 cm; largura, 185,5 cm; altura, 181,5 cm; entre-eixos, 308,5 cm; caçamba, 1.000 kg, n/d l; tanque de

Fonte QUATRO RODAS

Solicite orçamentos gratuitamente CLICK AQUI!

Ficou com dúvida nós te ajudamos!

Click aqui no CAMINHONETE E CIA RESPONDE Vamos tirar todas as suas dúvidas!

Deixe uma resposta