Mitsubishi L200 – prós e contras do modelo

Desde os anos 90 a picape Mitsubishi L200 está presente no mercado brasileiro, tendo fabricação nacional em Catalão-GO.

A Mitsubishi L200 está em sua quinta geração, sendo que quatro delas foram feitas aqui no Brasil. Equipada com motor diesel 2.4 de 190 cavalos e 43,9 kgfm, a picape média japonesa teve na geração anterior, um motor 3.2 diesel de 180 cavalos e 38 kgfm.

Além disso, essa geração que inaugurou a chamada linha “J”, um corte na cabine da Mitsubishi L200, que marcou também o atual modelo, teve uma versão flex com 2.4 com 138/142 cavalos e 21/22 kgfm, bem como V6 3.5 de 200 cavalos na gasolina e 205 cavalos no etanol, que tinha 31,5/33,5 kgfm. O modelo tem ainda transmissão automática de quatro ou cinco marchas nessas duas gerações.

O modelo é um sucesso aqui no Brasil, entretanto, como qualquer produto, não escapa de reclamações e críticas de seus donos. E é sobre os dilemas de quem tem uma L200 passa que falaremos a seguir. Confira:

Principais defeitos encontrados

No geral, a Mitsubishi L200 não apresenta muitos problemas crônicos e defeitos recorrentes, que tenham sido reportados na internet pelos proprietários.

Contudo, os problemas na turbina apresentam mais relatos, ocasionando a perda de potência do motor e falhas no acionamento do acelerador. Alguns contam que a L200 teve desconexão do tubo da turbina. Logo, houve perda imediata de potência e torque, assim como consumo elevadíssimo e enorme emissão de poluentes, produzindo a temível fumaça preta.

Num dos relatos, aparentemente algo quebrou no tubo de alimentação, por isso a peça (não especificada) demorou três meses para chegar.

Do mesmo modo, alguns donos apontam problemas com as luzes de alerta de freios ABS e 4×4. Há alguns casos de sistema ABS tendo alerta de mau funcionamento ativado e defeito no bloqueio do diferencial.

Outra pessoa disse que foi o sensor do ABS da roda direita traseira que apresentou falhas. Em mais um caso, o proprietário da Mitsubishi L200 Triton apontou que o defeito estava nos cabos que alimentam o sistema ABS e as mudanças de tração.

Assim, o veículo apresentou impedimento de mudança de tração e dificuldade em frenagens até ser reparado na rede autorizada.

Igualmente, apontaram defeitos na luz do 4×4 acesa na L200 Triton, mas não detalharam se o mesmo foi um defeito elétrico ou se realmente o sistema de tração nas quatro rodas estava de fato avariado.

Defeitos e problemas menos comuns na Mitsubishi L2OO

Para alguns clientes da Mitsubishi, a durabilidade de alguns componentes é muito ruim.

Primeiramente, entre os campeões de reclamações estão as pastilhas de freio. De acordo com as críticas, elas possuem pouca durabilidade e precisam de troca com baixa quilometragem.

Igualmente, clientes descrevem que os amortecedores e batentes hidráulicos da suspensão precisaram de troca com menos de 10.000 km e 30.000 km, respectivamente.

Por fim, outros acusam batidas secas na coluna de direção e a troca de barras estabilizadoras. Alguns casos indicaram filtro de combustível entupido, o que gerou prejuízo em quem já estava fora da garantia.

O que realmente é grave na Mitsubishi L200?

Apesar dos relatos acima merecerem atenção, encontramos alguns problemas que podem ser um impedimento para você comprar uma L200. São eles:

  • Oscilação no medidor de combustível ou mesmo seu travamento, ampliado com a falta de computador de bordo nos modelos mais antigos, algo amplamente criticado pelos donos.
  • Caixa automática de quatro marchas da geração anterior da L200 Triton, que limita a performance e aumenta o consumo.
  • Consumo alto de combustível nas versões a diesel.
  • Suspensão dura, com batidas secas no conjunto traseiro. Sendo assim, de forma geral o conforto não é bom. 
  • Banco traseiro duro e reto demais, gerando desconforto em viagens.
  • Caçamba não tem tranca e os cintos de segurança dianteiros fazem barulho durante a condução.

Considerações finais

A princípio, a Mitsubishi L200 tem poucos casos de rejeição do produto. Há diversas ocorrências ou mesmo críticas em relação ao acabamento e equipamentos. Porém, os consumidores ainda consideram a compra um bom investimento.

A alta quilometragem foi observada em relatos com ausência de defeitos e problemas. Logo, apenas a manutenção preventiva é necessária, conforme vários disseram em depoimentos ou postagens sobre o produto.

Por último, a L200 teve quatro chamadas de recall desde 2011 e nenhum dos itens foi relatado pelos clientes, sendo eles mangueira do reservatório de gasolina (flex), trava do capô, alça de retenção da trava do capô e airbag do motorista, o famoso problema da japonesa Takata, que afetou milhões de carros em todo o mundo.

A maior variedade de peças para caminhonetes, SUV’S e picapes com condições especiais de parcelamento, preço justo e entrega rápida na Caminhonete & Cia.

Ficou com alguma dúvida sobre o tema? Solicite um orçamento sem compromisso para melhorar a performance da sua caminhonete. CLIQUE AQUI e fale com um especialista!

http://whts.co/pecas

Deixe um comentário